Como montar um food truck

28/11/2019
9 min de leitura
Equipe Dindim
28/11/2019
9 min de leitura

Seja para abrir um primeiro negócio gastronômico ou montar uma filial sobre rodas, os food trucks são uma boa oportunidade de negócio.

Os food trucks ganharam bastante espaço nos últimos anos como uma boa opção para quem quer abrir um negócio no mercado de alimentação.

Conhecidos pelo nome em inglês, os caminhões de comida podem ser uma oportunidade de menor investimento do que um restaurante, ou até mesmo funcionar como uma expansão de um local que já existe, como uma filial móvel.

Se você gosta da ideia de negócio, mas ainda não sabe como montar um food truck, está no lugar certo.

Vamos explorar o mercado, destacando dicas espertas para quem quer investir nos food trucks, que passaram por um grande “boom” há cerca de quatro anos, mas ainda hoje podem ser promissores para os empreendedores.

O que é food truck

A comida de rua faz parte de muitas culturas. No Brasil, são comuns os carros pequenos que vendem lanches, como cachorro-quente ou hambúrguer. Mas para serem chamados de food trucks existem diferenças que vão do cardápio à estrutura.

As principais características de um food truck

Em comparação com os carrinhos de comida, um food truck costuma ser maior e ter uma cozinha mais completa, já que o espaço permite. As receitas também, que muitas vezes na rua são sinônimo de comida barata, podem ser mais sofisticadas e diversificadas: do ceviche peruano ao risoto, tudo servido no food truck. 

Ou seja, o food truck é uma forma de vender comida de rua, sim, mas com uma pegada mais gastronômica e com um modelo de negócio mais robusto. A informalidade dos carrinhos de comida rápida deve ser deixada de lado, e o planejamento é essencial para aqueles que querem investir na cozinha sobre rodas. 

Como abrir um food truck

Faça um plano de negócios

Não dá para começar qualquer empreendimento sem um bom plano de negócios, certo? E com um food truck não poderia ser diferente. Ainda antes de começar a desenhar o plano para montar o food truck, é preciso muita pesquisa sobre os custos do automóvel – da compra à inclusão dos instrumentos de cozinha necessários –, dos pontos disponíveis na cidade para parada do caminhão e, claro, da concorrência.

Com as características do mercado em mãos, é hora de traçar os detalhes do próprio negócio, como a definição do público-alvo, a escolha dos fornecedores e a identidade visual do food truck e da marca. 

Automatize o veículo ou compre um food truck pronto

O caminhão é essencial para a operação, e é importante que ele atenda às necessidades do tipo de culinária que será trabalhada.

Existem dois caminhos possíveis: comprar um veículo e levá-lo a uma empresa que faz a adaptação e a inclusão da cozinha ou comprar um food truck usado e pronto para operar. Nas duas opções será preciso customizar a parte externa do caminhão, uma vez que a aparência dele, que deve trazer a identidade visual da marca, será também uma forma de atrair clientes que passam pelo local. 

Escolha um bom ponto para o seu food truck

Essa etapa vai depender da existência ou não de normas específicas para os food trucks em cada cidade.

Em São Paulo, por exemplo, as licenças são emitidas para pontos fixos que a própria prefeitura determina. Caso não seja essa a realidade encontrada, e exista a possibilidade de estacionar em lugares diferentes, não deixe de checar os horários de maior movimento do local escolhido, segurança e quais tipos de negócios existem no entorno. 

Capriche no cardápio

Como montar um food truck sem caprichar no cardápio? Esse é um dos passos mais importantes para o negócio dar certo. Algumas dicas para você acertar na hora de definir o cardápio do seu food truck:

  • Não crie muitas opções de pratos. Essa é a primeira e mais importante dica sobre o assunto, já que o espaço de operação é pequeno. Oferecer uma grande diversidade de comidas poderá dificultar o dia a dia, e também frustrar o cliente. 
  • Analise a concorrência. Saiba o que outros food trucks que atuam na mesma região já estão vendendo. Hambúrguer, por exemplo, é um dos itens mais comuns e, dependendo do local, pode ser um nicho saturado. Pense no conceito de comida de rua: receitas rápidas, que permitam um pré-preparo de ingredientes, para comer em pé ou sentado, e que possa ser embalado para quem precisa comprar e sair com a comida na mão. 
  • Tenha um carro-chefe. Essa é uma maneira de se destacar da concorrência e conseguir mais clientes. Quando um prato faz sucesso, ele será mais facilmente divulgado no boca a boca, e poderá fazer com que o cliente volte outras vezes ao food truck, o que também é um caminho para a fidelização do consumidor

Monte um plano de marketing

Não é porque o food truck está na rua, literalmente sendo visto por todos que passam, que ele não precisa de um plano de marketing estruturado.

As estratégias do marketing digital, que incluem presença ativa e com conteúdo relevante nas redes sociais, também se aplicam ao modelo de negócio de comida sobre rodas. Não deixe de criar um perfil no Instagram e no Facebook para o seu food truck.

Além disso, dependendo do ponto de atuação, também vale investir em materiais impressos como panfletos e distribuí-los em empresas e prédios próximos. 

Ofereça um bom serviço de viagem

Com o food truck rodando algumas ações são necessárias para atrair mais clientes e aumentar as vendas. Uma delas é ter um bom serviço para viagem.

Quem vai comer em um caminhão estacionado na rua está ciente de que poderá ter que fazer a refeição em pé ou em poucas opções de mesas e cadeiras, certo? Por isso, muitas pessoas também usam a opção de comprar a comida e levar para viagem.

Invista em boas embalagens, pense nas opções que causam menos impacto ao meio ambiente e prepare a operação para que o prato chegue perfeito à casa do consumidor. 

Ofereça diversos tipos de pagamento

Outro ponto importante é oferecer diferentes formas de pagamento aos consumidores. Quem aceita apenas dinheiro pode perder vendas e clientes para a concorrência.

Pesquise as opções de maquininhas de cartão e escolha a que melhor se adaptar ao seu modelo de negócio:

SumUp Top: compacta, funciona via conexão bluetooth com seu celular

SumUp On: não precisa de celular e aceita pagamento por aproximação (NFC)

SumUp Total: bem completa, também não precisa de celular e ainda imprime seus recibos de venda

Dependendo do plano escolhido, o dinheiro das vendas pode cair em até um dia útil diretamente na sua conta sem intermediários.

Agora que você já sabe como montar um food truck, confira outras informações úteis para o negócio:

Como legalizar um food truck

Para operar nas ruas das cidades é preciso cumprir as regras de cada município. Como a chegada desses caminhões é relativamente nova no Brasil, em alguns lugares ainda não existem leis específicas, por você deve se informar corretamente na prefeitura municipal antes de tirar a ideia do papel e saber como montar um food truck. 

Embora São Paulo tenha sido a primeira cidade a regulamentar o modelo de negócio, hoje outros municípios também já trabalham com normas específicas. Essas leis costumam incluir mandamentos sobre estrutura, cuidados com a manipulação de alimentos e higiene, além de definir quais são os pontos de parada permitidos.

Onde estacionar um food truck

A popularização dos food trucks trouxe também um aumento no número de eventos gastronômicos em lugares como a capital paulista, além de espaços que reúnem vários caminhões, como food parks. 

Eventos e espaços privados acabam sendo uma grande área de atuação para quem tem um caminhão de comida, mas é preciso ficar atento quanto a essa possibilidade, já que na maioria das vezes é cobrada uma taxa de participação ou de aluguel do espaço.

Organização e planejamento financeiro são essenciais para saber se estacionar em locais que não são públicos é uma boa ideia para o seu negócio!

Vantagens vs. Desafios de um food truck

Embora seja uma tendência gastronômica que conquistou o seu espaço fixo em muitas cidades, para saber como montar um food truck é preciso, além de considerar as vantagens do modelo de negócio, também levar em conta os desafios que poderão ser enfrentados.

A burocracia para obter uma licença, a saturação de alguns tipos de comidas vendidas em food trucks e o excesso de trabalho físico na logística diária de produzir alimentos dentro de um caminhão podem ser alguns desses desafios.

Uma solução para conhecer melhor o mercado antes de investir é começar a vender comidas sem o truck.

Em algumas cidades, por exemplo, existem as feirinhas gastronômicas com barraquinhas, que podem ser alugadas para servir refeições. Com isso, é possível identificar a aceitação dos clientes quanto ao cardápio e testar a operação da cozinha, que pode ser bem parecida com a de um food truck.

Já tem um food truck rodando e quer compartilhar sua experiência? Deixe o seu comentário!

Ícone de categoria
Ícone de categoria

Gostou? Comenta aqui