Empreendofobia: o que é e como tratar

11/11/2021
18 min de leitura
Equipe Dindim
11/11/2021
18 min de leitura

Nunca ouviu falar sobre empreendofobia? Pois você pode ter esse medo que simplesmente paralisa o seu sonho de ter um negócio próprio. Vem com a gente entender esse termo!

Respire fundo, porque agora você vai entender todos os sintomas e aprender como superar o medo do empreendedorismo. 

O que é empreendofobia

O medo de abrir um negócio sempre existiu e de tão grande virou uma fobia. Por isso, criamos este termo: empreendofobia. Uma palavra nova para um medo antigo. Ela significa o seguinte:

1. Medo exagerado de empreender e/ou abrir seu próprio negócio. 2. Conjunto de medos associados ao empreendedorismo. 3. Fobia causada pela sensação de estar sozinho(a) diante de problemas ligados ao gerenciamento de negócios.

Sintomas da empreendofobia

Mas, afinal: você tem empreendofobia? Sabe quais são os sintomas?

Parece que é uma tarefa difícil descobrir, principalmente porque existem vários medos que podem virar um gatilho para a fobia de empreender.

Nós separamos os sintomas em três grupos.

Confira cada um deles e faça uma autoanálise para descobrir se você tem ou não empreendofobia.

Medos dos empreendedores

Investimento

Afinal, quanto se deve investir em um negócio próprio? Tudo depende do negócio que você for abrir.

É sempre importante considerar uma reserva (capital de giro) e o tempo que vai levar para o investimento inicial voltar para o seu bolso.

Só depois que esse dinheiro retornar para o seu bolso é que você pode e deve pensar em novos investimentos no seu negócio: novos produtos, expansão, ferramentas de divulgação e o que mais você achar necessário pro seu negócio continuar crescendo.

Mas a dica é: vai sem pressa. Um passo de cada vez. E se você quer saber como abrir um negócio com pouca grana, fizemos um e-book pra você.

Dívidas

Se endividar é um medo que assombra qualquer empreendedor. O segredo para não entrar nas dívidas é não dar um passo maior que a perna.

Evite empréstimos e fuja de juros altos. Mas caso aconteça o endividamento, respira fundo. A dica é negociar e não deixar que isso vire uma bola de neve. 

Estoque

Já pensou ter cliente pra comprar e o estoque estar vazio?

Chega a dar frio na espinha só de imaginar. A palavra mágica pra esse medo passar longe do seu negócio é previsibilidade.

Leve em consideração o seu volume de vendas, sazonalidade (quais períodos você tem mais ou menos vendas) e eventos especiais (datas comemorativas como Dia das Mães e Natal).

No começo é difícil prever tudo certinho, mas com o tempo você vai entendendo melhor como seu negócio funciona e quando precisa ter um estoque maior ou menor. 

Fornecedores

Não pode ter medo de negociar quando o assunto for fornecedor. Aqui, vale duas dicas importantes.

A primeira: buscar mais de um fornecedor para a mesma finalidade ou produto. Isso vale tanto para encontrar o que tem o melhor preço, como para acionar em alguma emergência, caso o primeiro não consiga lhe atender ou atrase muito na entrega.

A segunda: negociar sempre, seja no preço final ou na forma de pagamento. Não esqueça de exigir sua Nota Fiscal, pois isso pode virar um problemão. Além da prática ser configurada como sonegação, pode causar problemas para a sua contabilidade.

Fluxo de Caixa

Em vez de ter pesadelos com os números, encare-os como amigos. Eles te mostram a realidade do seu negócio.

Aqui, o importante é fazer um balanço seguindo esta conta: (total de entradas) menos (total de saídas).

Quer acabar com esse medo de uma vez por todas? A gente tem uma Planilha de Fluxo de Caixa pra você baixar de graça e já começar a usar. 

Divulgação

Divulgação é a alma do negócio e não alma penada pra ter medo. Ainda mais hoje em dia que existem várias formas de divulgar seu negócio.

Você pode começar imprimindo panfletos e distribuindo pelo seu bairro. Mas sem dúvidas você precisa estar na internet.

Pense em criar um site e abra uma conta nas redes sociais. Mantenha elas ativas com posts sobre o seu produto ou serviço. Não esqueça de divulgar o WhatsApp comercial e colocar o seu negócio no Google Meu Negócio.

Promoção

A empreendofobia também passa pela promoção.

Ela é ótima para os clientes, mas pode dar calafrios nos empreendedores, principalmente se for mal planejada. O segredo é fazer as promoções na hora certa e sempre fazendo as contas: se você for ficar no prejuízo, não é uma boa promoção.

Quer saber mais como evitar esse medo? Dá uma olhada neste artigo sobre como fazer uma promoção de sucesso.  

Pagamentos

Aceita cartão? Se essa pergunta te causa medo, tá na hora de você considerar em adquirir uma maquininha.

Neste artigo você entende como escolher a melhor opção pro seu negócio. Além de pagamento em débito e crédito, você também pode aceitar PIX. O negócio é não perder vendas por causa da falta de opção de pagamento, porque isso, sim, causa empreendofobia. 

Concorrência

Nada de ter medo da concorrência. Evite a empreendofobia usando a concorrência ao seu favor.

Você pode aprender com eles ou fazer uma análise antes de abrir o seu negócio, assim fica mais garantido o seu sucesso. E não se esqueça daquele ditado: a grama do vizinho sempre parece mais verde.

Antes de qualquer coisa, foque no seu trabalho e não fique obcecado em  ser igual ou fazer tudo igual ao concorrente. Isso só vai te trazer ansiedade e te levar a decisões ruins. 

Lucro

A palavra é pequena, mas o sonho é que o número seja bem grande, né? O problema é a empreendofobia que surge só de pensar em não ter lucro.

É importante saber que nenhum negócio dá lucro nos primeiros meses, por isso é importante ter uma reserva de dinheiro para ajudar a fazer o Capital de Giro.

Lembre-se que somente depois do retorno do seu investimento inicial é que você pode considerar que está lucrando. Muito cuidado quando chegar neste momento: não gaste todo o seu lucro, parte dele você deve deixar no caixa da empresa e outra parte você pode reinvestir em melhorias no seu negócio.

Lembrando que esse lucro já é o saldo após a retirada do seu salário (pró-labore). Aqui tem mais dicas pra começar seu negócio já sabendo como aumentar seu lucro

Ser seu próprio chefe é um desafio enorme, né? Por isso, preparamos uma newsletter exclusiva pra você. Assine agora mesmo!

Siglas e expressões que dão medo

MEI

A primeira sigla que a maioria das pessoas tromba antes de abrir um negócio é esta, que significa: Microempreendedor Individual.

Quando você abre uma MEI, passa a ter um CNPJ, que é uma inscrição na Receita Federal do seu negócio. Com esse registro você pode emitir Nota Fiscal, abrir conta jurídica em banco e abrir mais possibilidades de negócios.

Antes de abrir a sua MEI, é importante checar se o seu negócio atende aos pré-requisitos: faturamento anual (todo o dinheiro que entrou no caixa naquele ano) não pode ultrapassar os R$81 mil, o titular do CNPJ não pode ser sócio de outra empresa e o negócio deve se enquadrar em uma das categorias listadas pela Receita Federal.

Pra conferir esta lista e fazer todo o processo de abertura é só acessar o Portal do Empreendedor e clicar em “FORMALIZE-SE” e siga o passo a passo que for surgindo na tela. 

DAS

Essas três letrinhas causam empreendofobia em muita gente, principalmente quando veem o que ela significa: Documento de Arrecadação do Simples Nacional.

Mas, apesar do nome, essa sigla na verdade pode ser a queridinha de todo empreendedor MEI. Ela é um imposto simplificado que deve ser pago como uma mensalidade, com o recolhimento da guia DAS MEI, também conhecido informalmente como carnê do MEI.

Uma das vantagens do DAS MEI é que o seu custo é baixo e fixo. Dessa forma, você pode ter maior controle financeiro, evitando surpresas no final do mês.

Entre os benefícios que esse imposto oferece está o direito à aposentadoria, auxílio doença, auxílio maternidade e pensão por morte. Ou seja, quem paga o DAS, tem direito à aposentadoria.

Para fazer a emissão de boleto DAS MEI, basta acessar o Portal do Empreendedor, informar o seu CNPJ e acessar os boletos do ano. Importante lembrar que este imposto é obrigatório para quem tem MEI, viu?

Quem não paga, fica com situação irregular com a Receita Federal e pode perder o CNPJ e o alvará de funcionamento. Mas se caso você esquecer de pagar ou acabar formando uma dívida, é possível parcelar e regularizar tudo. 

NF

Não precisa ter medo dessa sigla, não. NF significa Nota Fiscal e nada mais é do que o recibo de venda ou prestação de serviço que você irá emitir para o seu cliente.

A emissão da nota fiscal pode ser digital ou física, em um bloco de papel. Não emitir Nota Fiscal configura sonegação, o que é crime.

Por isso, é essencial que você priorize a organização destas notas, afinal, além de ajudar na prestação de contas para a Receita Federal, elas também vão te ajudar a fazer os cálculos administrativos: balanços, Fluxo de Caixa, etc.

DAS-SIMEI

A gente sabe que esta sigla é grande e dá medo, mas respira fundo que a gente te ajuda a simplificar.

Esta sigla se refere à Declaração Anual do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual, também conhecida como Declaração Anual de Faturamento. Todo ano o Microempreendedor Individual deve declarar o valor do faturamento bruto (valor total das vendas de mercadorias e serviços) do ano anterior por meio da Declaração Anual.

O período para fazer isso coincide com os meses para declaração do Imposto de Renda. Você deve fornecer as seguintes informações:

1) receita bruta total de comércio, indústria, transportes intermunicipais e interestaduais e fornecimento de refeições;

2) receita bruta total dos serviços prestados de qualquer natureza, exceto transportes intermunicipais e interestaduais;

3) Se possuiu empregado durante o período coberto pela declaração. Fazer a declaração é fácil e completamente online, sem precisar baixar nenhum app.

É só acessar o site da Receita Federal, logar com o seu CNPJ e preencher o formulário com as informações. Com a emissão e organização das Notas fiscais, você consegue ter os dados para esta declaração. E com a Declaração Anual de Faturamento, você pode fazer o DIRPF, que também dá um medinho em algumas pessoas. 

DIRPF

Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física. Este medo atinge muita gente (muita mesmo), sendo empreendedor ou não.

Afinal, declarar o Imposto de Renda é pra quase todo mundo. Mas quem possui um MEI, precisa se atentar a um campo específico na declaração. Você deverá fornecer uma série de informações relacionadas ao seu faturamento e ficar atento às isenções.

Ou seja: uma parte do seu faturamento bruto não será tributado. O percentual de isenção varia para cada segmento: 8% da receita bruta para comércio, indústria e transporte de carga; 16% da receita bruta para transporte de passageiros; 32% da receita bruta para serviços em geral.

Não precisa ter medo do leão, só não pode deixar pra fazer sua declaração de Imposto de Renda na última hora.

Pró-labore

Este é o salário do dono, ou seja, o seu salário.

Em via de regra, o pró-labore MEI não pode ser inferior a um salário mínimo, nem ultrapassar R$ 6.750,00 ao mês. Isso porque o valor limite anual para se manter nesse regime tributário (o MEI) é de R$ 81 mil. Caso ultrapasse esse limite, você corre o risco de ser excluído do regime.

Nessa hora é importante não misturar as suas contas pessoais com as da empresa: abra uma conta PJ (no nome da sua empresa) para que esses pagamentos e todos os outros referentes ao seu negócio fiquem caracterizados de forma correta, evitando conflitos com tributação e Imposto de Renda.

O ponto chave é entender que mesmo que seu lucro seja alto e você tenha pago todas as despesas, nem tudo o que sobra deve ser encarado como remuneração.

É importante ter uma reserva de emergência para momentos de instabilidade ou quando o movimento estiver fraco, ou ainda para investir no crescimento do negócio.

Capital de Giro

O capital de giro é a diferença entre o dinheiro que a empresa tem disponível e a quantia que ela irá gastar com as próximas demandas, incluindo o pagamento de funcionários e o pró-labore.

Você só precisa ter medo dessa expressão, se você enfrentar muitos problemas e perceber que não terá dinheiro para arcar com todos os custos da empresa.

Capital Inicial

A expressão é muito comum e não vamos mentir: ela traz uma série de problemas e medos.

Afinal, ela se refere ao dinheiro que você vai investir para abrir e manter o seu negócio até que ele comece a gerar lucro, ou seja, até que o seu negócio já tenha te devolvido o mesmo valor que foi investido inicialmente.

Por exemplo: para abrir e manter um negócio de marmitas, você vai desembolsar R$10 mil. Dentro deste valor, você já considera que a quantia é o suficiente para começar os trabalhos e pagar as contas por um período de tempo.

Vamos supor que, de acordo com o seu planejamento, depois de 4 meses o seu negócio de marmitas já rendeu os R$10 mil investidos. Aí, sim: a partir daquele momento o seu Capital Inicial retornou para o seu bolso e o seu negócio passou a gerar lucro.

Por isso, para definir o valor que você deve ter no Capital Inicial deve-se somar o custo de abertura (documentação, aluguel, divulgação, etc), o custo de matéria-prima e o custo para manter o negócio aberto (considerando contas e pró-labore) durante um período de tempo.

Nessa hora você pode considerar um empréstimo, mas é importante ficar atento aos juros para não se endividar.

Se você quer um negócio que não precisa de muito dindim pra abrir, pode conferir estas 42 ideias que separamos neste artigo

Medos pessoais

Fracasso

Segundo o SEBRAE, 43% das mulheres e 34% dos homens têm medo de fracassar na hora de abrir o próprio negócio. E como todo medo, o fracasso causa empreendofobia.

É importante entender que fracassos fazem parte da jornada de qualquer empreendedor e que tudo traz alguma lição. A grande maioria dos empreendedores de sucesso hoje, fracassaram no passado.

O importante é não desistir, persistir e não repetir os erros. Uma dose de positividade também ajuda a manter esse medo longe de você. 

Sucesso

Dá pra ter medo de algo tão bom? Sim! Afinal, o medo não é do sucesso em si, mas sim como manter o sucesso.

Depois que o seu negócio chegar ao topo, o que fazer? Ou então: o que fazer se depois do sucesso o seu negócio começar a decair? Dá uma angústia só de pensar, não dá? Não precisa disso.

O curso natural das coisas é ter ciclos: uma hora o seu negócio estará no topo e outra hora não. O principal é entender estes momentos e aproveitar os momentos de baixa para reinvestir, expandir, lançar uma novidade.

E quando estiver no auge, não deixe que isso suba à sua cabeça. Seja pé no chão e não faça loucuras. 

Autoestima

Só você pode confiar 100% em você mesmo.

Sabe aqueles comentários de familiares e amigos que te jogam pra baixo, que te desestimulam, que duvidam da sua capacidade de empreender com sucesso? Ignora tudo.

Olhe pra dentro de você, acredite no seu potencial e melhore a sua autoestima. Ela será a sua principal arma para enfrentar todos os medos e desafios que surgirem ao longo do caminho. 

Liderança

Ser líder é diferente de ser chefe.

E se você pretende ter funcionários, então tem que superar esse medo.

Afinal, além de lidar com todas as questões que envolvem o seu negócio, você precisará gerenciar sua equipe de forma positiva: estimulando o crescimento deles, incentivando em momentos difíceis e extraindo deles o melhor que eles têm a oferecer para a sua empresa.

Se você já teve um chefe ruim, aqui vale uma dica de ouro: na dúvida, faça diferente do que fizeram com você. Seja transparente, sincero e sempre trate todos com respeito. Ser líder é inspirar o seu time a ser cada vez melhor.  

Inteligência Emocional

Esse medo é aquele sobre não conseguir lidar com situações de muita pressão, quando parece que tudo vai desabar.

Não vamos mentir: estes momentos vão existir ao longo da sua vida empreendedora. Por isso, antes de abrir um negócio é importante ter um autoconhecimento sobre o seu perfil emocional:

  • Você é mais racional ou emocional?
  • Mais impulsivo ou mais analítico?
  • Sua ansiedade te prejudica muito no dia a dia?
  • Você sabe separar sua vida pessoal da profissional?

Conhecendo melhor a maneira como você reage diante de diferentes situações, você evita que sua inteligência emocional fique abalada e prejudique o seu negócio. 

Ideia de negócio

Dentro da cabeça, uma ideia de negócio parece ser perfeita. Mas na prática pode ser bem diferente. E claro: isso causa empreendofobia.

Por isso, o jeito é não tender para nenhum lado. Não acredite 100% que sua ideia é a mais extraordinária do mundo e também não ache que suas ideias são sempre as piores.

Tenha em mente que hoje em dia ninguém inventa mais a roda, mas você pode oferecer o mesmo produto ou serviço de uma forma diferente.

Faça uma pesquisa na internet sobre as ideias que você imaginou, veja quem já faz o mesmo e encontre o seu diferencial.

A gente te ajuda com isso nesse artigo com 42 ideias de negócios pra você empreender com pouco dinheiro. 

Como curar a empreendofobia 

A palavra-chave para superar o medo de abrir o próprio negócio é conhecimento.

Isso vale tanto para uma autoreflexão sobre seus limites e perfil de empreendedor quanto para tudo o que envolve abrir e manter um negócio.

Busque informação, se interesse pelo assunto e coloque em prática tudo o que aprendeu. Empreendedores de sucesso tomam iniciativas a todo momento

O mundo do empreendedorismo também oferece diversas oportunidades para vocês crescer, aprender e trocar experiências.

Além de cursos presenciais ou online sobre diferentes assuntos relacionados à gestão de negócios, você pode participar de feiras, palestras e eventos sobre empreendedorismo.

Aproveite estes momentos para conhecer outras pessoas e trocar experiências. 

E, claro, sempre fique de olho aqui no Dindim por Dindim pra acompanhar mais dicas e informações que ajudam o negócio crescer e evitar que você desenvolva a empreendofobia. 

[BÔNUS] Como abrir um negócio lucrativo com pouco dinheiro

Achou que tinha acabado? Preparamos um vídeo com dicas incríveis pra quem vencer a empreendofobia e ainda começar um negócio sem gastar muito.

Aliás, você conhece alguém que tem empreendofobia? Conta pra gente aqui nos comentários e vamos ajudar mais pessoas a perderem o medo de empreender. 

Ícone de categoria
Ícone de categoria

Gostou? Comenta aqui